INSS para autônomo: é importante para aposentadoria? Tire suas dúvidas!

Com a pandemia da Covid-19, grande parte da população do Brasil e do mundo foi afetada por dificuldades financeiras. Perda de empregos, insegurança alimentar, diminuição da renda,

Imagine um autônomo ou freelancer nessa situação descrita acima. Sem salário fixo no fim do mês e com a incerteza de como será o seu dia a dia.

O ideal seria que todos pudessem fazer uma reserva de emergência para eventuais imprevistos financeiros. Mais que isso, ter um modo de garantir estabilidade financeira no futuro.

Para quem é autônomo, existem duas formas de guardar dinheiro para sua renda complementar: a previdência social e a previdência privada. Veja como funciona o INSS para autônomo!

INSS para autônomo

INSS para autônomo: previdência social 

Antes de tudo, vamos entender como o INSS funciona.

Resumindo de forma simples, o INSS arrecada dinheiro com os trabalhadores registrados através das contribuições mensais para pagar a aposentadoria daqueles que já pararam de trabalhar.

O trabalhador autônomo, ao contrário daquele que tem carteira assinada, não pode contar com benefícios como aposentadoria e seguro desemprego que são obtidos através da contribuição com o INSS.

Com a reforma da previdência, aprovada recentemente, está mais difícil para o trabalhador conseguir se aposentar. Foram feitas mudanças na idade mínima para o pedido de aposentadoria, no tempo de contribuição, entre outros fatores.

E também existe o fator longevidade: as pessoas em geral, incluindo os idosos e aposentados, estão vivendo cada vez mais, o que é bem interessante em termos de qualidade de vida. Porém para a previdência, significa mais pessoas recebendo aposentadoria para um número menor de trabalhadores ativos contribuindo com o INSS.

Isso cria um déficit e quem paga é o governo. Com os anos, a tendência é que a situação piore. A taxa de natalidade diminui, a expectativa de vida aumenta. Por isso, é interessante pensar em outras opções além do INSS para autônomo.

Bom, mas para que o trabalhador também tenha a previdência social, precisa pagar o INSS como contribuinte individual.

Como fazer o pagamento do INSS passa autônomo

Em primeiro lugar, o trabalhador deve estar cadastrado no PIS (Programa de Integração Social).

Em segundo lugar deve-se escolher qual será o tipo de contribuição:

– No caso do código 1007, o valor da contribuição será de 20% do salário, limitado ao teto da previdência, que em 2022, está no valor de R$7.087,22.

– No código 1163, o valor é de 11% do salário mínimo, que é um pagamento mensal ao INSS de R $104,94 e você receberá o valor de um salário mínimo de aposentadoria.

É importante que o profissional autônomo saiba que a contribuição de 11% não dá direito a aposentadoria por tempo de contribuição, apenas por idade.

O próximo passo é fazer o recolhimento da Guia da Previdência Social (GPS), o famoso “carnê”, e esse pagamento pode ser feito mensalmente (para qualquer valor de contribuição) ou trimestralmente (para quem contribui com uma porcentagem sobre o salário mínimo).

Através dessa contribuição o trabalhador autônomo pode contar com benefícios para si próprio e também para seus dependentes, como:

– aposentadoria por idade (com exceção da contribuição de 11%);

– aposentadoria por invalidez;

– salário-maternidade;

– auxílio-doença, entre outros.

INSS para autônomo: previdência privada (VGBL)

Como você deve ter percebido, apenas a previdência social não é o suficiente para quem quer ter uma aposentadoria mais tranquila. O INSS para autônomo deve considerar um plano de previdência privada. 

Uma das vantagens de investir em previdência privada é que, além de conseguir uma renda complementar à da previdência social, o autônomo pode investir essa renda em outros objetivos ao longo da vida, como a faculdade para os filhos, por exemplo. Além de poder deixar esse dinheiro como herança, caso venha a falecer. 

Existem duas modalidades: o PGBL que é indicado para pessoas que têm mais rendimentos tributáveis e fazem a declaração de imposto de renda completa.

E o VGBL que é a modalidade de previdência mais indicada para autônomos. Vamos ver como funciona?

previdência privada

O que é o VGBL?

A modalidade VGBL da previdência privada é a melhor ferramenta de juntar dinheiro para o trabalhador autônomo.

Ela é indicada para quem faz a declaração de IR simplificada, ou seja, aquelas pessoas que não possuem renda tributável muito alta (ou sequer possuem renda tributável).

No VGBL o imposto não é cobrado sobre o valor total do investimento, apenas sobre quanto ele rendeu. Escolhendo a tabela de tributação progressiva, por exemplo, a alíquota fixa é de 15%, independente do tempo que o dinheiro permaneceu investido. Depois esse valor é compensado para mais ou para menos, tudo depende da declaração do investidor.

Para quem não tem renda tributável como pessoa física, que é o caso de vários trabalhadores autônomos, é possível que o imposto sobre o rendimento seja devolvido pela Receita Federal.

Além disso, é você quem escolhe o valor da sua contribuição mensal e também qual o tempo de duração do seu plano. 

Considerando que o custo de vida está, e infelizmente, tende a ficar cada vez mais caro, pode ser que o valor recebido com o INSS para autônomo não seja suficiente. Uma opção interessante é fazer o combo previdência social + plano de previdência privada.

Imagine a seguinte situação: você contribui para a previdência social um valor de R$100 por mês, e decide investir na previdência privada o mesmo valor. No total seriam R$200 todos os meses.

Esse “sacrifício” no momento atual, se reverterá em bons frutos daqui alguns anos. Ter dinheiro investido sempre vale a pena, afinal após tantos anos de trabalho duro, é justo aproveitar a aposentadoria e a vida de forma mais tranquila.

Se você pretende começar a juntar dinheiro para o futuro, experimente escrever num papel seus objetivos, desejos e também os valores do planejamento. Além de ficar mais organizado, isso te ajudará a visualizar seu planejamento de vida.

Agora que você aprendeu sobre o INSS para autônomo e a previdência privada, confira outros artigos sobre o tema:

Como funciona a previdência privada: TUDO o que você precisa saber!

Conheça as diferenças entre Previdência Privada e Social e invista!

Aposentadoria por idade: como funciona e quais são os benefícios?
Para contratar um plano de previdência em menos de 5 minutos, baixe o app Saks.

Se você gostou desse artigo, vale a pena ler:

Invista no seu futuro:
assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo

Continue lendo

Dicas de educação financeira para seu dinheiro render

Sempre é tempo de aprender a lidar com as finanças e descobrir os melhores caminhos para organizar a sua vida financeira e colocar o seu dinheiro para trabalhar em prol da realização dos seus sonhos. Saiba mais sobre educação financeira.

O que fazer com o dinheiro da hora extra?

O que fazer com o dinheiro da hora extra?

Apesar de ser um fator comum no mercado de trabalho, a hora extra ainda é um assunto que causa dúvidas em muita gente. Mas, não se preocupe! Aqui, além de resolver suas dúvidas, vamos te mostrar como você pode colocar o dinheiro da hora extra para trabalhar a favor do seu bolso!

Escanei o QR Code

Assine nossa Newsletter

Complete os campos abaixo para baixar nosso App